Extrato de um estudo - O dividendo de dois biliões de euros da Europa: Identificação do Custo da não-Europa, 2019-24

18-04-2019

O presente documento provém de um estudo que congrega o trabalho em curso referente a um projeto de longo prazo que visa identificar e analisar o «custo da não-Europa» em alguns domínios políticos. Este conceito, aplicado pela primeira vez pelo Parlamento Europeu na década de 1980, é aqui utilizado para quantificar os potenciais ganhos de eficiência na atual economia europeia através do acompanhamento de uma série de iniciativas políticas recentemente preconizadas pelo Parlamento — desde um mercado único digital mais vasto e aprofundado até uma coordenação mais sistemática das políticas de defesa nacionais e europeias ou um reforço da cooperação no combate à elisão fiscal das empresas. Os benefícios são quantificados principalmente em termos do PIB adicional gerado ou da utilização mais racional dos recursos públicos. A análise mais recente aponta para potenciais ganhos superiores a 2200 mil milhões de euros para a economia europeia (UE-28), se as políticas preconizadas pelo Parlamento numa série de domínios específicos forem adotadas pelas instituições da União e executadas na íntegra na década de 2019 a 2029. Tal constituiria, com efeito, um «dividendo de dois biliões de euros», o que representa um aumento de cerca de 14 % do PIB total da UE (que foi de 15,3 biliões de euros em 2017). O estudo destina-se a contribuir para o debate em curso acerca das prioridades políticas da União Europeia no próximo ciclo institucional de cinco anos, de 2019 a 2024.

O presente documento provém de um estudo que congrega o trabalho em curso referente a um projeto de longo prazo que visa identificar e analisar o «custo da não-Europa» em alguns domínios políticos. Este conceito, aplicado pela primeira vez pelo Parlamento Europeu na década de 1980, é aqui utilizado para quantificar os potenciais ganhos de eficiência na atual economia europeia através do acompanhamento de uma série de iniciativas políticas recentemente preconizadas pelo Parlamento — desde um mercado único digital mais vasto e aprofundado até uma coordenação mais sistemática das políticas de defesa nacionais e europeias ou um reforço da cooperação no combate à elisão fiscal das empresas. Os benefícios são quantificados principalmente em termos do PIB adicional gerado ou da utilização mais racional dos recursos públicos. A análise mais recente aponta para potenciais ganhos superiores a 2200 mil milhões de euros para a economia europeia (UE-28), se as políticas preconizadas pelo Parlamento numa série de domínios específicos forem adotadas pelas instituições da União e executadas na íntegra na década de 2019 a 2029. Tal constituiria, com efeito, um «dividendo de dois biliões de euros», o que representa um aumento de cerca de 14 % do PIB total da UE (que foi de 15,3 biliões de euros em 2017). O estudo destina-se a contribuir para o debate em curso acerca das prioridades políticas da União Europeia no próximo ciclo institucional de cinco anos, de 2019 a 2024.