Energia Nuclear

01-02-2018

A energia nuclear atualmente produzida é liberada através de um processo designado de fissão nuclear, que consiste na divisão dos núcleos de átomos de urânio e plutónio para libertar energia. A energia nuclear é uma alternativa de baixas emissões de carbono quando comparada com os combustíveis fósseis e constitui uma componente essencial do cabaz energético de 13 dos 27 Estados-Membros, representando quase 26 % da energia elétrica produzida na UE. No entanto, na sequência do desastre de Chernobil em 1986 e da catástrofe nuclear de Fukushima, no Japão, em 2011, a energia nuclear tornou-se muito controversa. A decisão da Alemanha de abandonar progressivamente a energia nuclear até 2020 e o encerramento temporário de dois reatores belgas, após a descoberta de fissuras nas suas cubas, aumentaram a pressão para o abandono da energia nuclear na Europa. Embora sejam os Estados-Membros que optem por incluir, ou não, a energia nuclear no seu cabaz energético, a legislação da UE tem por objetivo melhorar as normas de segurança das centrais nucleares e de assegurar que os resíduos nucleares são manipulados e eliminados de forma segura.

A energia nuclear atualmente produzida é liberada através de um processo designado de fissão nuclear, que consiste na divisão dos núcleos de átomos de urânio e plutónio para libertar energia. A energia nuclear é uma alternativa de baixas emissões de carbono quando comparada com os combustíveis fósseis e constitui uma componente essencial do cabaz energético de 13 dos 27 Estados-Membros, representando quase 26 % da energia elétrica produzida na UE. No entanto, na sequência do desastre de Chernobil em 1986 e da catástrofe nuclear de Fukushima, no Japão, em 2011, a energia nuclear tornou-se muito controversa. A decisão da Alemanha de abandonar progressivamente a energia nuclear até 2020 e o encerramento temporário de dois reatores belgas, após a descoberta de fissuras nas suas cubas, aumentaram a pressão para o abandono da energia nuclear na Europa. Embora sejam os Estados-Membros que optem por incluir, ou não, a energia nuclear no seu cabaz energético, a legislação da UE tem por objetivo melhorar as normas de segurança das centrais nucleares e de assegurar que os resíduos nucleares são manipulados e eliminados de forma segura.