Comércio da UE com a América Latina e as Caraíbas: Panorama e números

16-12-2019

Os 33 países que formam a Comunidade de Estados Latino Americanos e Caribenhos (CELAC) são, coletivamente, o quinto parceiro comercial mais importante da UE. A UE assinou acordos plenos com dois grupos da América Latina (Cariforum e o grupo da América Central), um acordo comercial multilateral com três países da Comunidade Andina (Colômbia, Equador e Peru), e acordos com o México e o Chile que se encontram em fase de modernização. Além disso, a UE celebrou acordos quadro inter-regionais e bilaterais, tanto com o Mercosul como com cada um dos seus membros. Os acordos da UE que regem as relações comerciais com os subgrupos da América Latina e das Caraíbas e os diversos países diferem consideravelmente em termos de cobertura e metodologia, dependendo do momento em que foram celebrados e do contexto das negociações. Atualmente, a UE está a modernizar os pilares comerciais dos seus acordos com o México (foi concluído um «acordo de princípio» em abril de 2018) e com o Chile (as negociações ainda estão em curso), a fim de os alinhar com as normas atuais dos acordos de comércio livre da UE. Se o Acordo de Associação UE Mercosul, que compreende um pilar comercial para o qual foi alcançado um acordo político em junho de 2019, for ratificado com êxito, a UE disporá então de acordos globais para reger as relações comerciais com a quase totalidade da América Latina e das Caraíbas (com exceção da Bolívia, de Cuba e da Venezuela).

Os 33 países que formam a Comunidade de Estados Latino Americanos e Caribenhos (CELAC) são, coletivamente, o quinto parceiro comercial mais importante da UE. A UE assinou acordos plenos com dois grupos da América Latina (Cariforum e o grupo da América Central), um acordo comercial multilateral com três países da Comunidade Andina (Colômbia, Equador e Peru), e acordos com o México e o Chile que se encontram em fase de modernização. Além disso, a UE celebrou acordos quadro inter-regionais e bilaterais, tanto com o Mercosul como com cada um dos seus membros. Os acordos da UE que regem as relações comerciais com os subgrupos da América Latina e das Caraíbas e os diversos países diferem consideravelmente em termos de cobertura e metodologia, dependendo do momento em que foram celebrados e do contexto das negociações. Atualmente, a UE está a modernizar os pilares comerciais dos seus acordos com o México (foi concluído um «acordo de princípio» em abril de 2018) e com o Chile (as negociações ainda estão em curso), a fim de os alinhar com as normas atuais dos acordos de comércio livre da UE. Se o Acordo de Associação UE Mercosul, que compreende um pilar comercial para o qual foi alcançado um acordo político em junho de 2019, for ratificado com êxito, a UE disporá então de acordos globais para reger as relações comerciais com a quase totalidade da América Latina e das Caraíbas (com exceção da Bolívia, de Cuba e da Venezuela).